A Ana dos Cabelos Ruivos, a Anne with an “e” e a Lili (que também é Ana)

Quando eu era miúda adorava ver a Ana dos Cabelos Ruivos na televisão. Lembro-me de seguir fielmente todos os episódios, no período de votação do programa “Agora, Escolha”, com a Vera Roquete, na RTP. A série passava depois do preview das duas séries em escolha. E, enquanto as pessoas se decidiam e telefonavam para o […]

Continue Reading

O caos e a poesia

Nos meus tempos de estudante universitária, tive a sorte e o privilégio de ter professoras e professores extraordinários. Uma delas foi a professora Maria Irene Ramalho. Nas suas aulas de Literatura Norte-Americana, o tempo passava a correr. Como agora quando me sento para escrever. Nas suas aulas-maravilha, dava imenso gosto ouvi-la. Percebia-se que tinha uma […]

Continue Reading

Temos pena, Sr. Daniel Pennac, mas, às vezes, o verbo ler tem de suportar o imperativo!*

Ai e tal, as crianças só devem ler por vontade própria, não devem ler por sugestão ou imperativo dos pais ou dos professores. Sim, sim, isso é tudo muito lindo, mas, nos tempos que correm, com tanta concorrência desleal das novas tecnologias e com a proliferação das gadgeterias, não se pode facilitar. Por experiência própria, […]

Continue Reading

A grande proeza

Cruzo-me com um aluno de terceiro ano, no refeitório, na hora de almoço: – Olá, miss Cruz! – Olá, Paul*! Como foi a tua manhã?  – Muito boa, miss. Eu fui fantástico esta manhã! (com ar contente e orgulhoso) – Boa! A que disciplina? Na aula de matemática ou de inglês? (pergunto com ar curioso […]

Continue Reading