A Ana dos Cabelos Ruivos, a Anne with an “e” e a Lili (que também é Ana)

Quando eu era miúda adorava ver a Ana dos Cabelos Ruivos na televisão. Lembro-me de seguir fielmente todos os episódios, no período de votação do programa “Agora, Escolha”, com a Vera Roquete, na RTP. A série passava depois do preview das duas séries em escolha. E, enquanto as pessoas se decidiam e telefonavam para o […]

Continue Reading

Best Friends and Big Bens

Ultimamente tenho andado, ‘happiLi’, a saltitar, up in memory lane. Escrevi up e não down memory lane, pois são recordações que me fazem sentir muito “Up”, a flutuar, como aquele filme o “Altamente!” (Não é à toa que a minha imagem de capa no Facebook são balões rainbow a flutuar.) Hoje partilho uma imagem dos […]

Continue Reading

O caos e a poesia

Nos meus tempos de estudante universitária, tive a sorte e o privilégio de ter professoras e professores extraordinários. Uma delas foi a professora Maria Irene Ramalho. Nas suas aulas de Literatura Norte-Americana, o tempo passava a correr. Como agora quando me sento para escrever. Nas suas aulas-maravilha, dava imenso gosto ouvi-la. Percebia-se que tinha uma […]

Continue Reading

Livre, leve e solta

Livre, leve e solta. Feliz, calma, serena. É assim que me sinto ultimamente e, em especial, neste preciso momento. Tudo flui organica e naturalmente. Sinto uma paz interior e um calor no peito difícil de pôr em palavras e descrever. (E eu que adoro escrever e as palavras brotam e desabrocham na minha mente constantemente, […]

Continue Reading

Lost in translation II

Há uns meses sugeri-vos um programinha cultural (?) e gastronómico diferente, longe da confusão dos locais turísticos habituais. Consistia num passeio por uma rua de nome sui generis, seguido de uma saborosa sobremesa num estabelecimento com um nome peculiar para portugueses, ou, pelo menos, para mim. Podem revê-lo aqui. Hoje, e porque nenhum passeio peculiar […]

Continue Reading

Leo, o torrãozinho

“Mãe, sabes, gosto mais do mano quando está em cute mode. Às vezes é tão giro e faz coisas tão fofinhas, e outras está tão chato e chora tanto. Não é que eu não goste sempre dele, mas tens de admitir que ele, por vezes, nos torra a paciência!” “Pois, compreendo. Eu também gosto mais […]

Continue Reading